26.04.2017
Protesto é encerrado de forma pacífica após quase 6h em Aracaju

Protesto é encerrado de forma pacífica após quase 6h em Aracaju

Mais de 20 mil pessoas foram às ruas da capital e protestaram. Três pessoas foram presas e cinco adolescentes apreendidos.

Aracajuanos aderiram ao manifesto e percorreram as ruas da capital durante quase cinco horas (Foto: Flávio Antunes/G1)
Aracajuanos aderiram ao manifesto e percorreram as ruas da capital durante quase cinco horas
(Foto: Flávio Antunes/G1)

O protesto que começou às 16h desta quinta-feira (20) em Aracaju foi encerrado de forma pacífica por volta das 21h30. Os manifestantes percorreram as principais avenidas da capital, fecharam o trânsito em algumas ruas e seguiram em passeata pelo Centro da capital seguindo pelos bairros 13 de Julho, Grageru, Luzia e DIA.

Manifestantes atearam fogo nas proximidades do Terminal do Distrito Industrial de Aracaju (Foto: Reprodução/TV Sergipe)
Manifestantes atearam fogo nas proximidades do
DIA (Foto: Reprodução/TV Sergipe)

O fim do ato foi marcado por um tumulto causado por uma minoria radical que fechou um trecho da Avenida Adélia Franco e queimou colchões e papel. O ato isolado assustou alguns motoristas e usuários do transporte coletivo.

“Fiquei com muito medo dos rapazes. Eles estavam descontrolados mas acabaram indo embora”, disse a dona de casa Maria Cipriano. A polícia foi acionada, mas ao chegar ao local os manifestantes já haviam dispersado.

Nas proximidades do mesmo terminal, manifestantes impediram a passagem de veículos. Em meio ao trânsito parado, um grupo foi em direção a um caminhão carregado de bebidas e saquearam a carga com refrigerantes e bebidas alcoólicas.

Grupo saqueia caminhão de refrigerantes que ficou parado em bloqueio em Aracaju (Foto: Flávio Antunes/G1)
Grupo saqueia caminhão de refrigerantes
(Foto: Flávio Antunes/G1)

Segundo a Polícia Militar, a manifestação foi pacífica. Três pessoas foram presas e cinco adolescentes foram apreendidos. Dois homens foram presos por porte de arma branca. Os responsáveis foram identificados e encaminhados para a Delegacia Plantonista. E no fim do protesto outro homem foi preso.

Cerca de 20 mil manifestantes se reuniram no fim da tarde desta quinta-feira na Praça Fausto Cardoso, no Centro de Aracaju, para se juntar ao protesto que iniciou na semana passada em São Paulo, contra o aumento na tarifa do transporte público, e ganhou as ruas de todo o país.

Por volta das 16h, as ruas do Centro da capital já aglomeravam dezenas de pessoas, desde crianças até idosos. Eles seguiram para protestar em frente à Assembleia Legislativa de Sergipe de forma pacífica e depois se dividiram em dois grupos.

Um seguiu em direção ao Centro Comercial, passando pela Avenida Hermes Fontes, Adélia Franco até o Distrito Industrial de Aracaju e o outro fechou o trânsito da Avenida Ivo do Prado e Beira Mar, passando pela Avenida Barão de Maruim, duas das avenidas mais importantes de Aracaju.

A Polícia Militar informou que não pode divulgar o número dos manifestantes porque eles ficaram espalhados, mas os integrantes do Movimento Não Pago afirmam que mais de 20 mil pessoas estiveram nas ruas lutando ‘por um Brasil melhor’.

“Lutamos pelos nossos direitos de forma diga, sem desrespeitar as autoridades nem o próximo, lutamos por um país melhor. Participamos de um momento histórico em Sergipe e estamos felizes porque nossa mensagem foi bem entendida e todos saíram de casa com o mesmo proposito. Esta foi a forma que encontramos para chamar a atenção das autoridades e mostrar a nossa força”, comemora Demétrio Varjão, integrantes do Movimento Não Pago.

Jovens interrompem trânsito em cruzamento do bairro Jardins (Foto: Flávio Antunes/G1)
Jovens interrompem trânsito em cruzamento do bairro Jardins (Foto: Flávio Antunes/G1)

Entre as reivindicações estão o aumento das tarifas de transporte público, os custos da Copa do Mundo, problemas no serviço público, corrupção, entre outras. Os sergipanos confeccionaram cartazes, criticando a corrupção, a Copa do Mundo, pedindo educação e cidadania.

A Prefeitura de Aracaju anunciou na quarta-feira (19) a redução da tarifa do transporte coletivo de R$ 2,45 para R$ 2,35. O novo preço da passagem vai entrar em vigor após a aprovação na Câmara dos Vereadores de Aracaju. Mesmo com o anúncio da redução do preço das passagens do transporte público ou da desistência do aumento, os protestos foram mantidos e estão foram realizados em mais de 100 cidades nesta quinta-feira e devem continuar nos próximos dias.

Os motivos se ampliaram a qualidade no transporte público, fim do favorecimento aos donos das empresas de ônibus, passe livre, melhoria na saúde e educação, fim da violência policial, da corrupção e eficácia nos gastos nas obras da Copa do Mundo.

Manifestantes seguem passeata pela Avenida Adélia Franco em Aracaju (Foto: Flávio Antunes/G1)
Manifestantes seguem passeata pela Avenida Adélia Franco em Aracaju (Foto: Flávio Antunes/G1)

Os comerciários de Sergipe decidiram aderir ao protesto e de acordo com o presidente da Federação dos Comerciários, Ronildo Almeida, eles decidiram fechar as lojas no início da tarde e seguiram para às ruas com os colaboradores. “Estamos participando e ajudando a fortalecer essa manifestação que é um ato de cidadania. Os protestos já começaram a mudar o Brasil. Quando o povo se une em torno de um projeto coletivo, o resultado é positivo”, avalia Ronildo Almeida.

Fonte: G1/SE

Sobre Gelmson Chagas