27.06.2017

Estudantes em greve ocupam campus da UFS em Lagarto

Paralisados, alunos impedem aulas nos prédios da universidade no município. Cobrança é por melhorias na infraestrutura dos cursos.

Sem aula. É essa a perspectiva dos alunos até quando durar o movimento grevista dos centros acadêmicos da Universidade Federal de Sergipe (UFS) em Lagarto. E para manter fortalecida a mobilização os estudantes estão ocupando tanto o campus provisório da universidade quanto os prédios anexos, localizados em endereços distintos na sede do município. Cobrança dos universitários é por melhorias na infraestrutura dos cursos.

No campus provisório, onde antes funcionava o Colégio Polivalente, os grevistas isolaram todas as salas de aula com o fechamento de portões que dão acesso aos corredores. Os estudantes estão concentrados no centro de convivência. Apenas salas específicas onde estão sendo aplicados exames do concurso para professores do Departamento de Educação e Saúde estão abertas.

Universitários concentrados no pátio e corredores isolados na campus provisório da UFS

 

Lana Lima, à esq., e Jamille Caroline, representantes do Conselho de Centros Acadêmicos

Já no prédio da Maternidade Monsenhor Daltro, onde abriga salas do curso de Enfermagem, por exemplo, os manifestantes protestam com carro de som e “apitaço”, evitando que aulas sejam iniciadas dentro do edifício. Assim que o local estiver desocupado, ele também será isolado, como informou Jamille Caroline, diretora do Centro Acadêmico de Enfermagem (CADENF).

O andar da Galeria José Augusto Vieira destinado a alguns ciclos de Fonoaudiologia também está desativado. De acordo com Lana Lima, diretora do Centro Acadêmico de Fonoaudiologia (CAFONO) e representante do conselho que envolve todos os centros, intenção é se reunir com a diretoria do campus amanhã (29) para tratar dos pontos levantados pelos centros e de pautas gerais.

 

Mário Adriano, diretor do campus em Lagarto

Segundo Mário Adriano, diretor do campus da universidade em Lagarto, desde a última quarta-feira (23) está havendo diálogo com os alunos e as reivindicações dos manifestantes já estão sendo estudadas, como, por exemplo, o atendimento a requisitos para pleno funcionamento dos espaços de atividades práticas, chamados na comunidade estudantil de clínicas. Apesar das conversas já encaminhadas com os grevistas, a diretoria do campus vai se posicionar oficialmente sobre as pautas quando elas forem repassadas ainda hoje.

 

 

 

Na Maternidade Monsenhor Daltro, carro de som e “apitaço” fazem parte da mobilização

A greve não tem data de término, e, de acordo com Lana, representantes da Associação dos Docentes da UFS (ADUFS) estarão em Lagarto ainda hoje para prestar apoio à paralisação dos universitários. Os técnicos administrativos, que também estão em período de greve, já haviam se juntado à causa.

Para hoje, além do encontro com os professores, está agendada uma assembleia para formar o comando de greve e deliberar a formalização das pautas que serão entregues à diretoria. Um ato público está marcado para acontecer na tarde de amanhã.

Fotos: Ítalo Duarte/Portal Lagartense

Sobre Gelmson Chagas